Veja alguns dos principais problemas enfrentados pelas empresas de segurança eletrônica e como superá-los

Veja alguns dos principais problemas enfrentados pelas empresas de segurança eletrônica e como superá-los

Segurança eletrônica: Descubra alguns dos principais problemas do segmento de segurança eletrônica e conheça as estratégias mais eficazes para evitá-los e contorná-los e, assim, atingir a excelência dos processos de monitoramento da sua empresa.

Introdução:

Com as inovações tecnológicas, os produtos sendo cada vez mais aperfeiçoados e o consumo mais frequente entre as pessoas, a segurança tornou-se um dos desejos mais essenciais no que se refere à qualidade de vida. 

Isso porque, como malefício dessa modernização, os índices de violência estão cada vez maiores no cotidiano. Como consequência, o mercado da segurança eletrônica tem sido valorizado e tem se mostrado, conforme o tempo passa, um dos segmentos mais promissores para investimento.

Ainda mais com a tecnologia em constante evolução, o que permite que empresas de segurança eletrônica tenham mais excelência em seus processos de monitoramento.

Na promoção de segurança, alguns problemas são recorrentes e tornam-se um grande inconveniente na gestão de uma empresa de segurança eletrônica.

Entre os seus maiores desafios, neste artigo, selecionamos os principais desse segmento e as melhores estratégias para superá-los, com eficiência, na busca por uma prevenção exata e uma resolução segura.

Parte desse conteúdo, inclusive, veio do bate-papo entre a nossa equipe e alguns importantes clientes, com visões de gestão absolutamente precisas. Confira:

Quais os principais problemas no setor de segurança eletrônica e como contorná-los?

1 – Disparos indevidos: 

Especialmente em locais que contam somente com o sistema de alarme, a ocorrência de disparos equivocados pode ser uma situação muito prejudicial tanto para a empresa de monitoramento quanto para os seus clientes finais. 

Esse tipo de erro gera desconfortos e deslocamentos desnecessários. Isso implica em custos sendo empregados em momentos inoportunos, o que pode significar gastos que poderiam ser demandados para eventos verídicos.

Algumas causas são muito comuns, como agentes da natureza ou mal uso do espaço monitorado. O ideal é prevenir que disparos indevidos aconteçam com frequência.

Essa prevenção se dá por meio de relatórios completos com índices de disparos falsos, ociosidade da comunicação, incidência de ordem de serviços e outros. 

Com essa tecnologia, é possível antecipar as ações sobre os equipamentos instalados. Esse tipo de informação permite que o gestor saiba, com precisão, o que está gerando erros com frequência e agir em cima disso.

Uma estratégia complementar com o intuito de reduzir o custo para tratar eventos, é viabilizar a implantação de CFTV em todos os clientes monitorados, o que contribui também no aumento da precisão dos serviços prestados.

2 – Identificação de problemas: 

Na gestão de uma empresa de segurança eletrônica, diversos mecanismos e equipamentos são utilizados para fornecer a máxima segurança ao cliente. Quando são equipamentos visíveis como câmeras, no geral, defeitos são facilmente identificados.

No entanto, há diversos erros possíveis tanto em equipamentos de segurança quanto em sistemas, como os DVRs/NVRs.

Quando situações ocorrem e não são questões de conexão, por exemplo, a dificuldade de identificar qual o real problema aumenta. Isso demanda tempo, mão de obra e investigações para saber de fato o que está prejudicando o funcionamento completo. 

Para que esse fator não se torne um ponto fraco em sua empresa, é preciso que haja a gestão e o acompanhamento de setores isolados para que os reparos sejam realizados de forma imediata. Isso evitará que o seu cliente fique com a proteção comprometida por longos períodos de tempo.

O investimento na capacitação técnica dos colaboradores também é importante. Dessa forma, reduz o tempo investido na investigação e na solução.

A cultura de disseminar conhecimento entre os profissionais também é importante, criando interação entre as pessoas da sua equipe. Pior do que treinar um funcionário e ver ele sair, é não treinar e ver ele ficar.

3 –  Falta de padronização das ações dos operadores 

Uma vez que cada cliente possui características próprias e níveis de riscos alternados, o trabalho oferecido a favor de sua proteção deve ser realizado de forma padronizada. Isso significa que os seus operadores, ou seja, as pessoas que realizam os serviços técnicos e os atendimentos, devem estar preparados para as diversas situações possíveis. 

Esse preparo não apenas se dá de forma técnica, mas a instrução do modo de agir conforme a política da sua empresa. É comum em uma central de monitoramento, principalmente pelo seu tamanho e pela existência de uma grande equipe, informações desencontradas serem passadas para o cliente. 

É um erro que prejudica a comunicação e a eficácia das operações, uma vez que pode desencadear ações equivocadas que ocasionam falhas na segurança do usuário. Realize treinamentos periódicos que abordam a cultura, a política, as técnicas e os procedimentos de segurança para que todas as informações estejam alinhadas ao objetivo.

4 – Falta de conscientização/comprometimento dos usuários

A segurança somente é executada com excelência se realizada em conjunto. Ou seja, o seu cliente precisa estar com o pensamento alinhado ao planejamento estratégico da sua empresa. 

A negligência dos usuários quanto ao sistema de segurança pode acarretar sérios riscos e falhas recorrentes. Por exemplo: o sistema de alarme pode estar devidamente instalado e com a manutenção preventiva em dia, mas não funcionará se o usuário esquecer de armar o alarme no horário determinado. 

Muito mais que isso, conta também a mudança de comportamento geral como a preocupação constante com as publicações em redes sociais sobre o ambiente interno ou até mesmo a observação de atitudes suspeitas ao chegar no espaço monitorado. 

Isso significa que a segurança precisa fazer parte da consciência de cada pessoa. Por essa razão, faça a transmissão desse tipo de informação e recomendações para os seus clientes. Esse tipo de ação aumentará o nível de eficácia do monitoramento prestado e envolverá o verdadeiro interessado no contexto de aumento de segurança.

5 – Contratação e treinamento de novos colaboradores

Uma das dificuldades de uma empresa de segurança eletrônica é buscar pessoas devidamente capacitadas para prestar o melhor serviço ao cliente. Isso acontece porque nem sempre a capacidade técnica é o suficiente para que a pessoa seja adequada aos ideais da empresa. 

É claro, o conhecimento técnico possui a sua relevância para que os serviços sejam sempre realizados em um alto padrão. No entanto, é preciso realizar uma busca mais criteriosa. 

Opte sempre por pessoas que tenham os valores alinhados ao da sua empresa, sejam detalhistas, tenham uma boa comunicação e sejam dinâmicas. Isso será crucial no processo de aperfeiçoamento. 

Por último, mas não menos importante, o trabalho não é finalizado quando a contratação é efetivada. Tenha uma cultura de treinamentos constantes, isso garante a qualidade do atendimento aos seus clientes e permite que o seu time esteja sempre em evolução.

6 – Desalinhamento do setor técnico com o monitoramento 

A gestão de uma empresa se dá por diversos setores e a falta de integração entre eles pode ser um fator desconfortável quando o assunto é buscar por um processo mais otimizado. Dentre as principais controvérsias, encontra-se a distribuição de OSs e gerenciamento de instalações. 

A comunicação falha entre as partes pode causar transtornos na execução dos serviços e na distribuição deles de maneira rápida e eficiente. Para que essa fluidez exista de maneira alinhada, torna-se necessário a integração do seu sistema de gestão com o sistema utilizado para o monitoramento. Essa funcionalidade poderá ser útil tanto nas demandas que a sua empresa precisa atender quanto na comunicação dos seus setores. 

Outros tipos de serviços como relatórios específicos, aplicativos móveis, ferramentas de notificações instantâneas em casos de falhas operacionais e outros podem atender as necessidades do cotidiano da sua empresa de segurança eletrônica.

Que tal conhecer uma solução inovadora criada especialmente para o mercado de segurança eletrônica e pronta para agir em conjunto com o seu software de gestão?

Nossa essência é ser flexível e possibilitar que o cliente desenhe a operação como preferir, sabendo que o software poderá se adaptar às definições. É o único software que possui uma operação híbrida, por exemplo.

O Moni está preparado para fornecer todas as funcionalidades úteis que a sua empresa de segurança eletrônica precisa para prevenir e para solucionar as principais dificuldades do segmento. 

Dentre elas, estão: emissão de relatórios e gráficos completos que proporcionam uma visão ampla sobre o seu negócio e auxilia na sua tomada de decisão; integração com o software ERP, o que ajuda na manipulação das informações e no gerenciamento dos processos; notificações instantâneas para líderes operacionais agirem instantaneamente em casos de problemas pontuais; aplicativo móvel Moni Mobile que conta com a visualização intuitiva dos eventos enviados pela central de alarme, visualização de câmeras, acionamento de comandos remotos, chave digital, interação com o setor financeiro para seus clientes e muito mais. 

Evite erros e previna os problemas com a tecnologia de ponta do Moni!

Ofereça o melhor para o seu cliente, use a tecnologia MONI para elevar a qualidade dos seus serviços e proporcionar máxima proteção!

QUERO CONHECER O MONI